Veja as 4 inovações tecnológicas para a área da saúde em 2024

inovações tecnológicas - Wearables - Homem com smartwach checando os sinais vitais

No ano de 2024, o ecossistema da saúde certamente será marcado por inovações tecnológicas que são resultantes do desenvolvimento de tecnologias que vêm ganhando espaço nos últimos dois anos, principalmente no que diz respeito ao aproveitamento da IA (Inteligência Artificial) em diversas áreas do conhecimento.

Dispositivos como os Wearables (Vestíveis), a expansão da telemedicina, a aplicação da 5G em áreas cirúrgicas e até mesmo a própria medicina  genômica (personalizada), serão os grandes destaques de 2024 no que diz respeito à tecnologia aplicada à área da saúde.

Vive-se atualmente a virada histórica da Indústria 5.0 (ou Sociedade 5.0 conforme alguns teóricos), onde a tecnologia passa a ser mais do que um agente transformador de produtos, sendo então um auxiliador da vida humana que terceiriza ações do dia a dia, facilitando a mobilidade, segurança e, principalmente, a saúde.

Neste conteúdo separamos 4 das principais inovações tecnológicas na área da saúde que terão maior espaço para desenvolvimento e aplicação em 2024.

Você verá que o período pós-pandêmico acelerou nossa necessidade de inserir a tecnologia a disposição dos processos clínicos, desde a coleta de dados, consultas, prescrições e até mesmo em questões cirúrgicas.

Continue lendo para saber quais dessas tecnologias poderão impactar ou, quem sabe, introduzir um novo ciclo de mudanças na área onde você atua.

1. Inteligência artificial (IA) e Medicina Genômica

Imagine que cada indivíduo um dia possa ter um tratamento médico personalizado de acordo com seu  genoma, ou seja, a partir de estudos genéticos individuais aliados ao Big Data, a medicina passará a prever condições de saúde mapeadas em sua pré-disposição genética, evitando assim tratamentos desnecessários, identificando doenças de forma precoce, adiantando medidas preventivas de saúde que irão corroborar com a saúde de cada pessoa com base neste estudo pessoal como o desenvolvimento de medicamentos personalizados até o nível molecular.

O Big Data (Informações utilizadas por IA) em si já é um grande avanço tecnológico  uma vez que a medicina passa a utilizar a Inteligência Artificial para confrontar dados médicos e identificar padrões a partir de softwares que analisam tais dados e entregam possíveis diagnósticos e seus possíveis tratamentos aos pacientes.

A tomada de decisão pelos profissionais da saúde passa a contar com “robôs” dedicados a fornecer informações valiosas que não só podem auxiliar no tratamento individual das pessoas como também prever surtos, epidemias ou pandemias.

Essas inovações tecnológicas são importantíssimas para a gestão dos hospitais,  uma vez que essas instituições passam a prever contextos sociais relacionados à saúde que poderão demandar mais atendimentos e, consequentemente, mais recursos da instituição.

2. Saúde Digital e Telemedicina

Após a pandemia, a aceleração do uso da Telemedicina aconteceu de forma expoente, não só no Brasil, mas em todo o mundo em detrimento das medidas de Lock Down e distanciamento social necessários para a diminuição do contágio de COVID-19.

A intenção em 2024 é aumentar as ocorrências desse tipo de atendimento, principalmente para casos específicos onde o acompanhamento do paciente pode ser feito de forma remota para que ele forneça detalhes de seu tratamento ou recuperação ao profissional da saúde que o acompanha.

Este grande recurso tecnológico (telemedicina) estará ainda mais associado aos dispositivos de saúde conectados aos pacientes (wearables), os quais fornecerão dados em tempo real aos médicos, melhorando assim a precisão do diagnóstico remoto.

3. Dispositivos médicos inteligentes vestíveis (Wearables)

Essa é uma das principais inovações tecnológicas que ganhará espaço em 2024. Esses dispositivos ainda estão sendo inseridos timidamente nos processos de acompanhamento do paciente para monitoramento remoto.

Os wearables são itens que os pacientes “vestem”, com equipamentos dotados de sensores que realizam exames periódicos não invasivos como monitoramento de sinais vitais ao longo do dia, de modo que os dados são computados e enviados ao profissional responsável pelo diagnóstico.

Exemplos de dispositivos wearables a serem utilizados na área da saúde

Os conhecidos smartwatches por exemplo, os quais são popularmente utilizados por atletas para automonitoramento, configuram-se como dispositivos vestíveis capazes de monitorar sinais vitais como:

  • pressão arterial
  • ritmo cardíaco
  • oxigenação do sangue

Esses dados conectados ao sistema utilizado pelo profissional da saúde podem auxiliar em um mapeamento mais preciso da situação real do paciente, o que é ideal para estabelecimento de um diagnóstico mais consciente.

Outro exemplo de dispositivo wearable são os aparelhos que aferem glicose,  por exemplo, eles podem identificar flutuações dos níveis de glicose no sangue, corroborando para um controle de pacientes com diabetes.

Para quem realiza tratamentos relacionados à privação do sono (insônia), já existem dispositivos vestíveis que medem o nível de estresse e padrões de sono, os quais fornecem dados aos profissionais para mapeamento das causas da insônia.

Para pacientes que estão no processo de perda de peso para cirurgias específicas ou até mesmo para melhorar sua condição de saúde, os wearables auxiliam no controle de calorias gastas ao longo do dia.

4. O uso de 5G em cirurgias remotas e outras áreas do hospital

Pelo fato de servir como base para uma melhor conexão de internet, a 5G é uma tecnologia que veio para revolucionar também a área da saúde.

Hospitais como o Albert Einstein, por exemplo, focam em pesquisas de 5G as quais se dividem em áreas como:

  • Cirurgia
  • Telemedicina
  • Monitoramento de ambulâncias
  • Predição de AVCs

De acordo com reportagem do Portal Valor Econômico,  o Hospital Sírio-Libanês já realiza testes desde 2022 utilizando conexão 5G para transferência de dados em ambulâncias, fazendo com que os procedimentos emergenciais feitos pelos profissionais em atendimento sejam compartilhados com o hospital em tempo real, facilitando assim a  organização da equipe médica que irá receber o paciente para continuação do tratamento na emergência do hospital.

Por ter uma baixa latência, a conexão 5G permite a transmissão de um grande volume de dados em alta velocidade, facilitando assim o tráfego de dados relacionados a imagens (vídeo) em alta definição (HD), que é a base para a realização da cirurgia remota (telecirurgia).

Além de permitir que o médico cirurgião realize a cirurgia remotamente, ou seja, podendo levar o recursos a áreas longínquas com pouco acesso a profissionais especializados, os profissionais poderão auxiliar na orientação cirúrgica de outros médicos, aumentando assim o monitoramento profissional sobre o paciente.

Reforce a política de privacidade de dados do seu hospital ou clínica

Apesar de serem incríveis, as inovações tecnológicas previstas para os próximos anos mexem com algo altamente sensível na atualidade, a privacidade de dados.

Os serviços relacionados a tecnologia e saúde são, em grande parte, envolvidos com o uso de dados pessoais de saúde dos pacientes, os quais contribuem para que os softwares dotados em IA confrontem dados e encontrem padrões baseados na realidade dos pacientes.

Por este motivo, o fluxo de dados entre os sistemas precisa seguir uma política de privacidade que reflita as normas previstas na LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).Se você precisa promover a interoperabilidade de dados em sua instituição a partir de APIs seguras e capazes de promover a segurança dos dados dos seus pacientes e fornecedores, converse com os especialistas da Nuria.

Gostou? Compartilhe este artigo com seus colegas.

A Nuria é pioneira em sistemas de agendamento online e especialista em interoperabilidade no setor da saúde.

Nuria © 2012-2023
Feito com ❤️ em Belo Horizonte

Nuria © 2012-2023         Feito com ❤️ em Belo Horizonte